Venezuela condena sanções unilaterais impostas pelos EUA

Foto archivo Andreina Blanco, AVN

Caracas, 10 Ago. AVN.- O chanceler da República, Jorge Arreaza, rechaçou nesta quarta-feira as sanções unilaterais impostas pelo governo dos Estados Unidos contra oito funcionários venezuelanos.

"Queremos rechaçar enfaticamente as pretendidas sanções que o Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC, na sigla em inglês) contra oito venezuelanos" dos quais seis são deputados eleitos à Assembleia Nacional Constituinte, declarou o chanceler. "É uma falta de respeito a nossos assuntos internos", acrescentou.

Areaza afirmou que a Venezuela não reconhece estas sanções porque não respeita nenhum princípio nem direito internacional e atenta contra a democracia e a soberania dos povos.

O chanceler disse que a "Venezuela não pode ser sancionada por nada e ninguém. Ninguém tem moral neste mundo para sancionar o povo de Bolívar. Rechaçamos absolutamente esta agressão do império do governo de Washington".

No dia 31 de julho, os Estado Unidos também impuseram sanções econômicas ao presidente Nicolás Maduro, por não ter suspendido a convocação para a Assembleia Nacional Constituinte, mecanismo contemplado na Constituição e proposto como uma solução à violência promovida pela direita e que até o momento deixou mais de 10 mortos, milhares de feridos e danos a bens públicos e privados.

A lista de pessoas sancionadas nesta quarta-feira inclui os constituintes Adán Coromoto Chavez Frías, irmão do comandante Hugo Chávez; Hermann Escarrá, Erika Farías, Carmen Meléndez, Darío Vivas e Francisco Ameliach.

Também foram sancionados a reitora principal do Conselho Nacional Eleitoral, Tania D Amelio, e o coronel Bladimir Lugo Armas.

10/08/2017 - 09:23 am