Jorge Rodríguez: Após eleições, governo e oposição vão assinar acordo de convivência

 @PoliticaDivan

Caracas, 10 Oct. AVN.- Após as eleições regionais deste domingo, 15, governo e oposição vão concretizar um acordo de convivência, informou nesta segunda-feira Jorge Rodríguez, que dirige a comissão para o diálogo, em seu programa de televisão " La Política en el Diván".

"Depois das eleições vamos nos sentar para terminar de fechar o acordo de convivência que setores da direita venezuelana e as forças da revolução avançamos muitíssimo", nas reuniões de diálogo realizadas na República Dominicana.

Segundo ele, o acordo "está bastante próximo de levar a uma firma que vai gerar mais tranquilidade ao povo venezuelano".

Rodríguez pediu que os dirigentes opositores deixem de um lado o duplo discurso que utilizaram para promover a violência.

A votação deste domingo é a eleição de número 22 em 18 anos, número que contrasta com as 15 realizadas durante o chamado Pacto de Punto Fijo, entre 1958 e 1998.

"Na Venezuela até relativamente pouco tempo as pessoas não podiam escolher seus governadores, não podiam escolher seus prefeitos, jamais foi consultada em um plebiscito, em um referendo", disse.

Ele afirmou que as eleições regionais vão reforçar a paz e soberania da Venezuela, especialmente diante do cerco econômico e político realizado pelo governo dos Estados Unidos.

"Neste domingo o povo da Venezuela vai votar pela paz e vai dizer para (Donald) Trump, com cada voto, não se meta nos assuntos internos da Venezuela, que os assuntos internos da Venezuela resolvemos nós os venezuelanos", afirmou o dirigente socialista.

Rodríguez recordou que contra a Venezuela foram realizados ataques psicológicos, midiáticos e financeiros, que visam destruir a Revolução Bolivariana.

Ele reiterou o chamado sem distinção política, para participar do processo eleitoral deste domingo e ratificar a natureza democrática na Venezuela.

Sobre os opositores que participam desta eleição afirmou que "ainda sendo opositores, estão ratificando a democracia, reconhecendo a Constituinte" que é a instância que convoca esta votação.

O dirigente socialista lembrou que foi o presidente Nicolás Maduro, com o objetivo de superar a onda de violência opositora durante mais de 100 dias entre abril e julho, que teve a iniciativa de convocar o Poder originário para instalar a Constituinte.

10/10/2017 - 08:51 am