Assembleia Constituinte rechaça ações ingerencistas promovidas pelo Europarlamento

Foto: Jose Luis Diaz Aranguren, AVN

Caracas, 13 Sep. AVN.- A Assembleia Nacional Constituinte rechaçou nesta terça-feira as novas intenções ingerencistas do Europarlamento, órgão que pretende aplicar sanções contra a Venezuela.

"Nesta plenipotenciária e soberana Assembleia Nacional Constituinte rechaçamos todos as tentativas de intervenção da Venezuela. Repudiamos todas as ações contra nossa pátria dirigidas a sua intervenção", afirmou a presidenta da ANC, Delcy Rodríguez.

Durante sessão no hemiciclo protocolar do Palácio Federal Legislativo afirmou que 3% do quórum de deputados do Europarlamento pretendia aprovar um decreto para agredir o povo venezuelano.

Esta tentativa de agressão é fruto do lobby internacional realizado por alguns dirigentes da oposição venezuelana.

"O parlamento europeu está formado por 751 parlamentares e participaram apenas 23 parlamentaress. Eles representam 3% do parlamento europeu, e pretendiam aprovar uma resolução promovendo a aplicação de sanções contra o governo e o povo da Venezuela", manifestou.

Rodríguez acrescentou que a Assembleia Constituinte não vai permitir agressões contra o povo da Venezuela e vai apoiar todas as ações do Executivo nacional para defender a soberania e estabelecer relações diplomáticas de respeito com o mundo.

A presidenta da Assembleia Constituinte rejeitou as declarações ingerencistas do chanceler da França e fez um chamado para que as leis do Direito Internacional sejam respeitadas.

13/09/2017 - 07:26 am